26 de jan de 2012

Renegociar dívidas é o primeiro passo para enfrentar as novas contas de início de ano, segundo o Serasa Experian


Organizar pagamentos em atraso deve ser prioridade, mesmo diante dos novos boletos que se acumulam nesta época


Serasa Experian
Encarar as contas típicas dos primeiros meses do ano – IPVA, IPTU, material escolar, matrículas, além do extrato do cartão de crédito, geralmente recheado com as compras de Natal – não é simples quando o 13º salário pode ser apenas uma vaga lembrança na conta corrente. Mas a situação pode se tornar ainda mais complicada se, além de todos esses cifrões, o consumidor ainda carrega o peso de dívidas não honradas em 2011.
A orientação da Serasa Experian é tentar uma conformidade junto aos credores. Pelo Código de Defesa do Consumidor, ao ter uma dívida renegociada, a pessoa já tem seu nome retirado da lista de inadimplentes. "Em tempos de Cadastro Positivo, o procedimento permite que este consumidor não só reabilite seu crédito como também comece a construir seu histórico positivo", lembra o economista da Serasa Experian, Carlos Henrique de Almeida.
O primeiro passo é listar as dívidas e identificá-las. O procedimento é importante porque algumas companhias descentralizam o serviço de cobrança, fazendo com que o cliente receba contatos de empresas diferentes sobre uma única conta em aberto. Em seguida o consumidor deve avaliar as propostas do acordo, levando em consideração o número de parcelas e (ou) descontos oferecidos. "Porém, o mais importante é saber se as novas dívidas que serão assumidas cabem no orçamento", enfatiza o economista. "Isso porque renegociar uma conta já renegociada pode não ser tão simples."
Segundo o economista da Serasa Experian, o cliente não precisa aceitar a primeira proposta de pagamento apresentada pelo credor. "O consumidor deve fazer suas contas e apresentar contrapropostas realistas. Essa transparência será bem recebida por quem está cobrando." Carlos Henrique de Almeida aponta que geralmente o brasileiro se sente constrangido em renogociar dívidas. "Mas é o procedimento correto. É a maneira mais viável de se reabilitar perante a economia e reingressar pela porta da frente no mercado de consumo".
Organizar pagamentos em atraso deve ser prioridade, mesmo diante dos novos boletos que se acumulam nesta época (Imagem: Thinkstock)

Passo a passo para a renegociação de dívidas
 - Levante as dívidas (contas) em atraso.
 - Separe por credor (por loja, por cartão de crédito, por banco).
 - Verifique o valor devido em cada uma.
 - Ponha em uma planilha as contas por credor e os respectivos valores em atraso.
 - Separe as cartas das empresas de cobrança ou da empresa credora por dívida.
 - Atenção, muitas vezes uma, duas ou mais empresas de cobrança cobram a mesma dívida.
 - Cruze as cartas de cobrança recebidas com o valor devido, algumas inclusive já oferecem uma proposta de negociação, com o último valor que você tem anotado em sua planilha.
 - Monte sua proposta de negociação para cada credor, pensando no que cabe em seu orçamento.
 - Use sinceridade com cada credor. Fale sobre os motivos que o levaram à inadimplência ou ao descontrole financeiro.
10º - Não se sinta constrangido por isso. A renegociação de dívidas é um ato que mostra que você tem interesse pagar o que deve. Muitos bancos já a disponibilizam em sites na internet.
11º - Na renegociação, chegue a um ponto comum sobre os valores atualizados da dívida com os credores ou seus representantes.
12º - Faça uma renegociação realista, um plano de pagamento que você possa pagar, porque renegociar novamente vai ficando cada vez mais difícil.
13º - Procure renegociar suas dívidas em prazos mais curtos e evite assumir novas compras a prazo neste período. Assim, você faz um sacrifício maior em tempo menor.
14º - Valorize e cumpra a renegociação realizada, pois ela é o único caminho para a solução de seus problemas financeiros.
15º - Com o cadastro positivo, sua reputação no crédito vale muito. Seja responsável financeiramente. 
Siga-me no twitter: @JoseArdonio

Nenhum comentário:

Postar um comentário