9 de ago de 2011

Movimento contra corrupção reúne-se com Marco Maia nesta terça

Agência Brasil 
A Frente Parlamentar Mista de Combate à Corrupção se reúne com o presidente da Câmara, Marco Maia, nesta terça-feira, às 10h30. O objetivo do encontro, de acordo com o coordenador do grupo, deputado Francisco Praciano (PT-AM), é pedir agilidade na votação de propostas voltadas ao combate à corrupção. A reunião será no gabinete da Presidência da Câmara. Entre as propostas está a que cria o tribunal superior da probidade administrativa (PEC 115/07) e o projeto que inclui no Código Penal o enriquecimento ilícito e fixa pena de reclusão de 2 a 12 anos e multa por enriquecimento ilícito de funcionários públicos (PL 5363/05). Integrantes de movimentos de combate à corrupção que usam as redes sociais para as suas mobilizações também se organizam para tirar as pessoas da frente de seus computadores e levá-las para protestar nas ruas, tornando mais visível a sua indignação. 
Passeata pela ética
Já está marcada uma passeata pela ética e pela moralidade na política no Distrito Federal para 23 de agosto, em Brasília. O evento é organizado pelo movimento Reage Brasília. A concentração será na Praça do Buriti, a partir das 16 horas, em frente ao Palácio do Buriti, sede do governo do DF. A passeata vai se dirigir ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal e, em seguida, para a Câmara Legislativa. A coordenadora do movimento Reage Brasília, Leiliane Rebouças, afirma que o Distrito Federal virou "vitrine nacional de escândalos de corrupção" nos últimos anos, envolvendo os Poderes Executivo, Judiciário e Legislativo locais. Leiliane Rebouças lamenta ver que vários desses escândalos ainda estampam as capas de jornais, sem uma resposta adequada da Justiça brasileira. "Corrupção existe em todos os lugares do mundo. O que nós precisamos é acabar com a impunidade. E isso só vai ocorrer quando as pessoas exercerem plenamente a sua cidadania, fiscalizando, exercendo o controle social, e não apenas só votando e deixando aqueles parlamentares, que são seus representantes, fazer o que quiserem." A dirigente afirma que o movimento vai apresentar propostas aos representantes do governo para tentar reduzir as irregularidades que têm ocorrido na administração do Distrito Federal. A coordenadora do momento Reage Brasília pede que, mesmo quem não puder participar da passeata, use roupas pretas, coloque faixas negras em sua casa ou fitas nos carros, em protesto contra a corrupção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário