29 de abr de 2011

Jornalismo Indexado? O que é isso?


Jornalismo indexado: você sabe o que é isso?


Tagging, folksonomia, taxonomia... Se estas palavras ainda são estranhas para você, não se preocupe. Elas não mordem e nem arrancam pedaço não. Mas elas estão cada vez mais presentes na vida das pessoas, facilitando a realização de várias atividades do cotidiano, especialmente online.
É que com a Web 3.0 a perspectiva é de que cada vez mais as informações e serviços oferecidos ao público conectado se tornem inteligentes: buscas, notícias, produtos, tudo lhe será apresentado com base no seu perfil de navegação.
Nesse contexto, o Jornalismo Online se prepara para mais um avanço, depois de ir se apropriando dos aspectos colaborativos e interativos surgidos na ciberrevolução anterior. 
Mas o fato é que o tal do assunto será o tema do curso ministrado pela amiga Vany Laubé, no próximo dia 24 de maio, no #Congresso3em1: "Jornalismo Indexado: como se preparar para ele em tempos de mídias sociais". Eu se fosse você não perdia por nada nesse mundo. :-D

Comunicadores Voluntários. Eu contribuo e você?



Por Ana Manssour

"Comunicadores Voluntários" reunirá profissionais e veículos de comunicação que oferecem serviços voluntários e gratuitos

A partir da parceria, amizade e alinhamento de propósitos de duas comunicadoras, nasceu o movimento batizado de Comunicadores Voluntários, cujo objetivo é ajudar a divulgar conhecimento e ações de entidades, grupos e pessoas que buscam dar suporte à humanidade para preservar o planeta e melhorar a qualidade de vida dos indivíduos e da sociedade.


Para realizar esse objetivo, foi ao ar na segunda-feira, 25 de abril o blog www.comunicadoresvoluntarios.com.br que funcionará como uma rede, um ponto de convergência e multiplicação de informações e notícias relativas a projetos e ações voltados para causas ambientais, sociais e econômicas. Ao mesmo tempo, o blog manterá uma relação de profissionais e veículos de comunicação dispostos a colaborar, tanto com a propagação em suas redes quanto com a oferta de outros serviços, de forma voluntária e gratuita. 



Além do blog, também foram criados canais dos Comunicadores Voluntários no Facebook (grupo Comunicadores Voluntários) e no Twitter (@ComunicVolunt). Profissionais de comunicação, blogueiros, jornais, rádios, revistas, sites, que queiram fazer parte dessa rede e colaborar podem informar-se na guia “Faça parte da rede” do blog.



As entidades e movimentos sem fins lucrativos que precisem de espaços de divulgação e de serviços de comunicação para suas atividades, poderão localizar nas guias “Comunicadores” e “Veículos” profissionais e empresas com os respectivos contatos. Para outras informações, basta entrar em contato pelo endereço de e-mail voluntarios.comunicadores@gmail.com.

28 de abr de 2011

Depois de algum tempo sem postar, resolvemos abordar mais um tema que tem sido atacado e discutido por muitos de nosso setor.

Posts como o Die! Press release! Die! Die! Die! (2006) do Blog Silicon Valley Watcher davam a entender que o press-release estava com os seus dias contados; mas quem diria que, depois de 5 anos, ele ainda é uma das principais ferramentas de Relações Públicas e não se tem previsão de que ele morrerá tão cedo.

Por outro lado, nós acreditamos que ele precisa mudar, ou melhor, o Press-Release, como muitos programas, precisa de um upgrade. Este upgrade foi publicado há alguns anos pela Shift Communications que propagou o seu Modelo de Press-Release 2.0.

Esse upgrade é necessário, pois ele busca adequar o comunicado das empresas às revoluções que discutimos no post O Futuro da Comunicação Corporativa. A atualização mais urgente é que ele se torne uma ferramenta tanto para a propagação quanto para o compartilhamento das notícias divulgadas.

E, aproveitando que acabamos de finalizar o desenvolvimento do nosso novo Modelo de Press-Release Social 2011 (.pdf), estamos postando-o para explicar algumas das características e técnicas que utilizamos para nossos clientes.

10 Características

1. Características Básicas
Todo Press-Release precisa  ter sua estrutura bem configurada. Você pode criar o seu próprio seguindo este Manual Técnico (daVirtual Target) ou adaptar os modelos doMailChimpCampaign Monitor.
2. Curtir e Tweet e Comentários
Com o serviço AddThis é possível integrar o famoso botão "Curtir" e "Tweet" no Press-Release. E para possibilitar comentários, utilizamos o Disqus.
3. Compartilhe a Notícia
Além destes botões, também incluímos os de compartilhamento da notícia com os principais canais sociais. Esses botões (2 e 3) são essenciais para a propagação viral / boca-a-boca.
4. Cadastre-se no Mailing
Extremamente importante e quase sempre negligenciado. Um botão para que o seu mailing cresça em qualidade e em quantidade.
5. Imagens em Alta Resolução
Todo jornalista/bloggeiro precisa de imagens em Alta Resolução, mas simplesmente anexá-las ao email o deixa pesado. A solução é criar uma miniatura e linkar à imagem em alta.
6. Contato (Agência)
Além dos dados normais do profissional responsável pela conta, adicione formas de contato via web (ex. Messenger, Skype, Twitter...)
7. Mídia Social (Cliente)
Caso o cliente tenha Canais Próprios de mídia social, aproveite o Press-Release para conquistar mais audiência para ele. Acrescente também um link para o Feed RSS das notícias do Cliente.
pr-social
8. Canais Sociais
No fim do PR você pode colocar os canais de mídia social da sua agência (TwitterYoutubeFacebook). Isto ajudará a aumentar a audiência destes canais por pessoas interessadas em suas notícias (contanto que você os atualize).
9. Mensuração
Hoje já existem ferramentas capazes de mensurar cliques, aberturas, horário de abertura, cliques em imagens etc... Para o e-mail nós utilizamos o Virtual Target, para o Feed – FeedBurner, Links - Bit.ly.
10. Testes, Testes e mais Testes
Para ter certeza de que irá aparecer de forma idêntica em todos os clientes de e-mail, você pode testar a visualização com oLitmus.
Esperamos que aproveitem e que ajude a todos a pensar em mais características para melhorar esta ferramenta.
E Você? Acha que o Press-Release irá morrer ou sobreviver?

25 de abr de 2011

Brasília 51 anos. Temos motivos para comemorar? #BRA51LIA


O Feriado Nacional foi longo e para quem ficou em Brasília o que não faltou foi motivo para diversão. A cidade completou na última quinta-feira, 21, 51 anos. O Governo organizou uma vasta programação, para as comemorações do aniversário e trouxe desde eventos culturais a eventos esportivos, o céu de Brasília, ganhou um colorido diferente, foi o Festival de balonismo, lindo que só! Eu fui conferir e aprovei. Tivemos ainda, volei de praia, show sertanejo, festival de teatro. minino, a coisa aqui foi grandiosa. Muita festa mesmo! perdeu quem viajou. Ao contrário do que aconteceu no ano passado, muita enrolação e corrupção, que eu não quero nem entrar em detalhes, quando Brasília fez 50 anos, o que se via nas ruas eram pessoas elogiando as festas e a organização. Na Esplanda dos Ministérios, palco das festividades, os brasilienses puderam conferir toda a programação, ou quase toda, já que o Teatro Nacional recebeu a Mostra de Teatro. Nove peças, produzidas por companhias de teatro locais, com entrada franca. E como imagens falam mais que mil palavras, trouxe aqui algumas fotinhos que marcaram os festejos dos 51 anos de Brasília.
Brasília comemora seus 51 anos no clima da Copa de 2014 (Foto: Érika Romão
Festival Nacional de Balonismo fez parte das comemorações dos 51 anos da cidade





23 de abr de 2011

Vale a pena morrer pelo jornalismo?


 
Do Observatório da Imprensa

Anna Politkovskaya, a destemida jornalista russa que foi baleada e morta por um criminoso desconhecido nas ruas de Moscou em 2006, escreveu sobre o lado sombrio do reino de Vladimir Putin: a guerra brutal na Chechênia; a corrupção e a bandidagem que começavam nos altos escalões do governo; a ausência de um judiciário independente; a “magia negra burocrática” capaz de envenenar – ou mesmo extinguir – uma vida bastando uma ordem para fazê-lo.
Anna – mãe de dois filhos, morta aos 48 anos – escrevia frases que se adequavam ao tema de suas reportagens: a prosa dela era em geral dura e estridentemente direta, infestada de verdades inconvenientes. Uma passagem típica de Is Journalism Worth Dying For? (Vale a pena morrer pelo jornalismo?, em tradução livre), a nova coletânea de artigos escritos por ela para o jornal russo Novaya Gazeta, descreve uma jovem chechena recolhendo os restos do cérebro do pai “espalhados pela parede, reunindo-os numa sacola para poder enterrá-los”. Este livro, que às vezes lembra um catálogo de horrores da Inquisição, não é para os leitores de estômago fraco.
Is Journalism Worth Dying For? é tocante em muitos níveis, e um deles é o breve vislumbre da autora que Anna teria sido se tivesse começado sua carreira em outro lugar e outra época. Sua ternura e sua sociável qualidade humana enchem as margens desse volume, lançando sobre os horrores que ela testemunhou uma luz ainda mais revoltante.
Durante uma breve viagem a Paris, por exemplo, ela se reuniu com um editor chamado Robert Laffont e encontrou um prazer nabokoviano na agradável estética do nome dele. “A uvular vibração do “r”, duas vezes. O florido “la” formando um lírio onde um terno “l” se funde num beijo dos lábios com aquele “a” especial para produzir um som semelhante ao la-la-la de um bebê desdentado.”
Ao observar uma companhia argentina de tango, ela enunciou este veredicto certeiro sobre o romance em seu próprio país: “A paixão ao estilo russo é uma viagem do ponto A até o B. No ponto A o casal se beija, e no ponto B os dois já estão maltratando os colchões”. A vida na companhia de um cachorro favorito era como ser submetido a “uma constante terapia intravenosa de amor”, especialmente porque aquele cachorro, Martyn, tinha aprendido a protegê-la dos mal-intencionados.
Difícil imaginar
Is Journalism Worth Dying For? é um livro que traz um contínuo testemunho moral; seus momentos mais leves são relativamente poucos. Mas o leitor tentará manter esses trechos ao alcance para suportar as passagens mais sombrias.
Anna escreveu muitos livros, entre eles A Small Corner of Hell: Dispatches from Chechnya (2003) (algo como Um cantinho do inferno: reportagens da Chechênia), Putin’s Russia (2005) (A Rússia de Putin) e A Russian Diary (Um Diário Russo), publicado postumamente em 2007.
A coletânea que temos diante de nós hoje foi publicada pela primeira vez no ano passado na Grã-Bretanha sob o título Nothing but the Truth (algo como Nada além da Verdade).
O subtítulo daquela edição, Selected Dispatches (Reportagens Escolhidas), reflete com mais precisão o conteúdo do livro do que o subtítulo usado na edição americana (Final Dispatches, ou Reportagens Finais). Este livro contém alguns dos últimos trabalhos de Anna, incluindo matérias investigativas que podem ter levado diretamente a seu assassinato. Mas a maior parte do seu conteúdo é composta por artigos dos últimos seis anos da vida dela.
A tradução, feita por Arch Tait, é competente apesar dos momentos menos idiomáticos. Faz muita falta neste volume um ensaio biográfico introdutório para familiarizar os leitores com o alcance da vida e da obra de Anna, e para contextualizar estes artigos. Mas estas são queixas menores. O livro é um expressivo documento do heroísmo jornalístico.
Is Journalism Worth Dying For? começa com um incisivo ensaio encontrado no computador de Anna após sua morte. Ela abria o texto definindo o significado da palavra koverny, que quer dizer “palhaço”, e descrevendo uma geração de jornalistas russos como “um grande picadeiro cheio de kovernys cujo trabalho é manter o público entretido” e glorificar o status quo.
Os jornalistas que não se submetiam eram considerados não apenas párias, mas também possíveis alvos (como ocorreu com ela) de “envenenamento, detenção, ameaças feitas pelo correio e pela internet, ameaças de morte feitas pelo telefone”. Ela fazia pouco do eventual glamour doentio que alguns pareciam encontrar neste estilo de vida. “Talvez isso seja visto como uma brincadeira de espionagem”, escreveu ela. “Nada poderia ser mais falso. Detesto esta maneira de viver.”
As reportagens de Anna sobre a Chechênia começam com quatro palavras: “Estas são histórias revoltantes”. Ela enxergava a guerra como um genocídio. Documentou as execuções em massa, assim como os estupros, os escalpelamentos, homens e mulheres queimados vivos, testículos esmagados, choques elétricos, dedos esmagados em batentes de porta. Quando ela diz que os métodos do torturador eram “tão brutais e patológicos que prefiro não os descrever”, é difícil imaginar o quanto eles poderiam ser chocantes, pois ela omitiu pouquíssima coisa.
História recente
Anna era dedicada aos fatos, à ideia de que descobrir a verdade pode trazer a libertação para seres humanos ou para um país. Após um sequestro, ela realizava o tipo de trabalho detetivesco elementar que os promotores russos se recusavam a fazer. Ela procurava nomes e números e agitava os resultados dos exames forenses diante de rostos importantes.
Veja a azeda eloquência que ela imprime a simples dados numéricos: “Eles não querem saber, por exemplo, o número de identificação do transporte blindado usado pelos mascarados para sequestrar Umkhanov e Isigov sem nem sequer olhar para seus passaportes. Este número era 4025. Da mesma maneira, não se interessam pelo nome de código do veículo – 88 – usado nas comunicações via rádio; nem pelo código do oficial encarregado do comando da operação – 12. A placa do caminhão do Exército que acompanhou o sequestro era O 1003 KSh”. Ela fez o trabalho todo, faltando apenas aplicar um mata leão nos que cometeram os sequestros.
Um sarcasmo desiludido pode ser sentido por entre as fissuras. Ela ofereceu “prêmios de guerra” para os culpados das piores atrocidades na Chechênia. Quando documentos importantíssimos desapareceram do gabinete de um promotor russo, ela reagiu murmurando “grande surpresa” e destacando, num tom mordaz, que o jornal dela não tinha perdido suas cópias daqueles papéis.
Anna era capaz de distinções surreais. Sobre um comandante militar fanfarrão, ela disse: “Ele pode ter atirado em alguém, mas duvido que seja capaz de esmurrar uma pessoa”.
A construção de suas frases permanece na memória. Sobre outro líder corrupto, ela observou: “No calor do comando do sequestro ele lança o braço para frente, como Lenin sobre o vagão blindado na Estação Finlândia em 1917″.
Sobre a história recente da Rússia, ela ofereceu esta classificação: “A era de Brejnev foi caracterizada por uma demência cínica. Sob Yeltsin, a regra era pensar grande, roubar grande. Sob Putin, vivemos numa era da covardia”. Coincidentemente, Anna Politkovskaya foi assassinada no dia 7 de outubro, o aniversário de Putin.

22 de abr de 2011

Arezzo: falta de posicionamento na pele

Em tempos de "boom" das redes sociais e plataformas colaborativas, a presença e gerenciamento da imagem das empresas na web são fatores decisivos

Por Isabela Pimentel , www.administradores.com.br
 
Com a presença cada vez mais freqüente de grandes corporações nas redes sociais, o consumidor/cliente deixou de ser uma figura distante, tornam-se cada vez mais ativo, crítico e exigente, modificando sua relação direta com as marcas.
Em tempos de "boom" das redes sociais e plataformas colaborativas, a presença e gerenciamento da imagem das empresas na web são fatores decisivos no processo de branding, construção, manutenção e fortalecimento de uma marca.

E se o nome e a identidade da empresa são seus maiores valores, a falta de um posicionamento claro e de uma proposta de comunicação integrada podem causar graves arranhões a marcas sólidas. Para o bem ou para o mal, os usuários estão nas redes sociais e podem utilizá-las para enaltecer uma marca ou arruinar sua imagem.

Um case representativo para a falta de posicionamento é o da Arezzo, que, no último dia 18, mediante uma onda de protestos nas redes sociais, decidiu recolher seus produtos da recém lançada coleção com peles verdadeiras, a "Pelemania".

A empresa emitiu um comunicado oficial, distribuído em suas redes sociais (Twitter e Facebook). No documento, a empresa afirma que "entende e respeita as opiniões e manifestações contrárias ao uso de peles exóticas".

Erro crucial

Apesar da nota oficial, a Arezzo demonstrou uma clara falta de posicionamento e de uma política de comunicação integrada quando afirmou, no documento, não entender como sua responsabilidade "o debate de uma causa tão ampla e controversa".

Se a responsabilidade não é da empresa que gere a marca e deve cuidar de sua imagem, de quem é, então?

A incoerência entre a nota que anuncia a preocupação da empresa com a satisfação de seus clientes e a mensagem alegando a não responsabilidade revelam que a assessoria de imprensa não soube gerenciar a crise envolvendo a marca, e acreditou que um simples comunicado salvaria a marca de arranhões e violentas críticas.

Nos buscadores de notícias, quando se digita o nome da marca, os primeiros resultados são notícias negativas sobre o caso.

Entidades ligadas à proteção do meio ambiente e defesa dos animais já se manifestaram, a exemplo do Projeto SalvaCão, que produziu um cartaz criticando a coleção Pelemania.

Em situações como esta, qual deve ser o posicionamento da empresa para evitar um estrago maior à imagem da marca?

Opine! 
 Isabela Pimentel - Jornalista e historiadora.

21 de abr de 2011

Não deixe o Twitter filtrar as suas mensagens



Fonte Veja
Hoje, uma das principais utilidades do Twitter – obviamente inventada pelos seus usuários – é a divulgação de serviços e conteúdo. Tem um blog e deseja mostrar seus posts para o mundo? É só postar lá. Acha que seu produto é imperdível? A mesma coisa. Com a ajuda da ferramenta de busca do microblog, a sua mensagem pode ir muito além dos seus seguidores. Mas fique atento! O Twitter pode bloqueá-lo, atrapalhando seus planos para conquistar o planeta.
Para começar, o Twitter não gosta de spammers – pessoas que enviam repetidas vezes o mesmo conteúdo achando que vão fazer mais sucesso dessa forma. É só lembrar daquelas mensagens inúteis que lotam a sua caixa de e-mails. Você não gosta? Ele também não. O sistema é capaz de identificar o conteúdo dos seus posts, barrando as mensagens na busca. Trocar o link, utilizando encurtadores de URL diferentes, também não adianta.
Se você for bloqueado por muitas pessoas ou reportado como spammer, o problema pode ganhar uma dimensão bem maior. Sua conta corre até mesmo o risco de ser banida. Se você chegar a esse ponto, o melhor é criar um novo apelido na rede e fazer a coisa toda do jeito certo.
O microblog também serve como uma plataforma de protestos. O problema é que os esforços pela sua causa podem não fazer diferença quando suas mensagens são omitidas dos resultados de busca. Evite enviar mensagens sobre o mesmo tópico a cada cinco minutos. Faça textos diferentes, aumente o tempo entre os envios e chame pelos retuítes.
Dica:
Quer conferir se suas mensagens estão aparecendo na busca do Twitter? No campo “Search”, localizado no topo da página” digite a seguinte expressão (sem as aspas): “from:nome do usuário”. Onde “nome do usuário” é a usa identificação no microblog. No meu caso ficaria “from:james_rdv”. Pressione o ícone da lupa e veja o resultado.

18 de abr de 2011

Altamiro Borges: Foto do PM que flagrou Aécio no RJ

Altamiro Borges: Foto do PM que flagrou Aécio no RJ: "* Montagem produzida pelo internauta LEN e publicada no blog Conversa Afiada."

Prof. Marcelo Minutti palestra hoje no Shopping Casa park


 Palestra
Hoje, (dia 18 de abril) às 19h30
Tema: Comunicação digital e as novas mídias
Palestrante: Marcelo Minutti

Unidade: CasaPark Shopping Center
Endereço: SGCV - Sul, Lote 22, - Zona Industrial - Guará/DF
Local: Auditório

Horário de funcionamento da loja: 
Segunda a Sábado - 10h às 22h
Domingos e Feriados - 14h às 20h

Sujeito a lotação. Capacidade de 154 lugares.

  


15 de abr de 2011

Intercom 2011

Está no ar o site do XXXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação

E-mail Imprimir
logo2011
O site do XXXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação já está no ar. Programação preliminar, normas para a submissão de trabalhos e regras para a inscrição no prêmio Expocom podem ser conferidas no endereço www.unicap.br/intercom2011. O evento acontece de 2 a 6 de setembro, na Unicap (Recife – PE).
“Sediar o Intercom 2011 é um desafio para todos nós, em função do tamanho e da importância do Congresso”, destaca a professora Aline Grego, coordenadora local. O evento vai coincidir com as comemorações dos 50 anos do curso de Jornalismo da Unicap, fundado pelo jornalista, professor e pesquisador pernambucano Luiz Beltrão.
A pergunta que norteará as discussões do congresso – “Quem tem medo da pesquisa empírica?” – será debatida na conferência de abertura por  Rosental Calmon Alves, diretor do Kinght Center e professor da Universidade do Texas, agendada para o dia 4, às 9h.

Petrobrás lança nota de esclarecimento

Leia nota de esclarecimento da Petrobras Distribuidora

13 de abril de 2011 / 10:07
Fonte: http://fatosedados.blogspetrobras.com.br
 
A Petrobras Distribuidora reafirma que sua atuação na revenda de combustíveis é pautada permanentemente pelas melhores práticas comerciais, pela ética e pelo respeito ao consumidor. Líder do mercado brasileiro há 40 anos, a BR está disponível a prestar os devidos esclarecimentos às autoridades competentes.
Nas últimas semanas, a entressafra da cana-de-açúcar e fatores climáticos adversos levaram ao aumento expressivo do custo do etanol repassado pelas usinas produtoras, impactando os preços praticados por todas as distribuidoras de combustíveis no País e, consequentemente, os preços finais ao consumidor. Isso teve efeito direto no álcool hidratado, mas também na gasolina, que recebe adição de álcool anidro na proporção de 25%. Note-se que o preço da gasolina ainda sem etanol, repassada pela Petrobras às distribuidoras nas refinarias, não sofre alteração de preço desde 2009.
Especificamente no Rio Grande de Norte, a recente elevação da alíquota do ICMS sobre os combustíveis, de 25% para 27%, também teve efeito negativo. Cabe esclarecer que, conforme legislação específica da Agência Nacional de Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), as distribuidoras não têm ingerência sobre o preço final dos combustíveis nos postos, que são operados por terceiros.
Num ambiente de livre concorrência, a composição desses preços depende de vários fatores, como os custos de aquisição e logística das distribuidoras, carga tributária, custos fixos e variáveis de cada posto e condições comerciais. A soma de impostos federais, estaduais e municipais, por si só, é responsável por cerca de 40% do preço nas bombas, enquanto a margem das distribuidoras gira em torno de 4%.
Com a entrada da nova safra de cana-de-açúcar a partir de meados de abril, espera-se uma natural redução nos preços finais, à medida que os estoques forem repostos nesses novos patamares.
A Petrobras Distribuidora lamenta ainda que, equivocadamente, seja responsabilizada pelo recente aumento de preço da gasolina. E que a rede de Postos Petrobras seja alvo de campanha de boicote. A BR espera que os esclarecimentos acima levem os consumidores a uma nova reflexão sobre os fatos.

14 de abr de 2011

Noite de Canções no Instituto São Boa Ventura

Sérgio Righini e Alda Mattos - Foto Divulgação
A programação cultural do Instituto São Boa Ventura é rica em espetáculos. Desde lançamentos de livros, bate papos regados a café e biscoito a óperas e toda uma programação cultural muito vasta e que não dá para perder. O espetáculo, "Noite de canções", com o tenor: Sérgio Righni e a Pianista: Alda Mattos, está dentro da rica programação cultural do ISB e você é nosso convidado especial. 
O espetáculo: "Noite de Canções" acontecerá na próxima quarta-feira, (27) a partir das 20h no auditório do ISB, localizado à SGAN 915-Módulo C.
Neste programa serão apresentados “Lieder” de Schubert e Canções de compositores argentinos, brasileiros e italianos, finalizando com duas Canções de operetas húngaras, cantadas em alemão.

A Canção - peça vocal para uma só voz é em geral acompanhada por um instrumento musical; tem sua construção baseada em um poema.
O Lied “canção essencialmente alemã”, remonta à tradição popular medieval (Volkslied, - canção popular), mas só elaborada e organizada artisticamente no decorrer do século XVII (Kunstlied – a arte da canção).
Somente no final do século XVIII o Lied se tornaria um dos gêneros favoritos dos músicos alemães e europeus. O jovem compositor austríaco Franz Schubert (1797-1828), com apenas 17 anos, levou o Lied à sua essência máxima ao utilizar a melodia exclusivamente em função do texto poético.
Nos países de língua latina a Canção também se desenvolveu, sempre com melodia composta em função do texto. Por causa do som de cada idioma e das culturas diferenciadas dos países, a Canção nas diversas nações tem sonoridade e ritmos distintos. A Canção traduz a voz e emoção de seu povo.
  
Serviço: 
Entrada Franca
Data: 27 de Abril
LOCAL: Auditório do ISB
HORÁRIO: 20h
Informações:
www.institutosaoboaventura.com.br
Tel. 061-3349-0230 

13 de abr de 2011

Tudo é comunicação: Jornalismo e Email Marketing


Saiba quem é que está por trás do e-mail marketing, aquele que te deixa informado sobre um determinado assunto. 

Jornalismo e Email Marketing

Nessa semana comemoramos o Dia do Jornalista e em homenagem à data queremos estender nossos parabéns a todos os profissionais que trabalham com comunicação social. Indo um pouco mais a fundo no conceito do jornalismo, contudo, podemos entender que o jornalista é fundamentalmente um comunicador, um responsável por transmitir informação para certo grupo de pessoas, seu público-alvo. Nesse sentido, todos que trabalhamos com email marketing, portanto, temos um pouco de jornalista também.
Jornalismo e Email Marketing
No email marketing trabalhamos com comunicação voltada a um grupo específico de pessoas, aproximando a informação de quem se beneficiará dela. Assim como no jornalismo, é um trabalho intersemiótico, ou seja, que utiliza vários códigos e meios como texto, video, som, imagem, etc. As semelhanças são muitas entre os dois tipos de comunicação praticadas por jornalistas e por profissionais de email marketing.
Jornalismo e Email Marketing
O que diferencia o email marketing do jornalismo, entretanto, é que o primeiro tem objetivos assumidamente comerciais enquanto que o segundo (ao menos em teoria) não os tem. É basicamente a palavra ‘marketing’ do email marketing que define bem essa diferença, mas, é claro, há muito espaço para manga nessa discussão.
Jornalismo e Email Marketing
Não é nosso objetivo definir a profissão de jornalista ou entrar em qualquer polêmica. Queremos sim parabenizar todos os jornalistas, inclusive os que trabalham diretamente com email marketing (e são muitos), e estender esse parabéns a todos que, de uma forma ou outra, trabalham com comunicação. Fica a nossa homenagem então!

12 de abr de 2011

Como elaborar Projeto Cultural: Manual de apoio à elaboração de projetos culturais...

Como elaborar Projeto Cultural: Manual de apoio à elaboração de projetos culturais...: "Um projeto tem como objetivo transformar idéias e aspirações em ações concretas que possam aproveitar oportunidades, solucionar problemas, a..."

E assim é a vida, bebê. Hoje é o seu aniversário. E o que dizer?


Bem, não é tão simples assim.  Eu amo muito você, te vi crescer. Crescer? Mas você ainda é um anjinho, para mim sempre será! Nunca vai deixar de ser criança, meu amor. Amo você demais! #SemNoção, rsrs.

 Parabéns, Anjo! Que papai do céu cuide muito, muito, muito de vc pra mim...
Hoje vc está enorme! Merece toda a felicidade do mundo... Amo-te! 





 

Garota Safada canta em Brasília para a alegria dos forrozeiros


“Se soubesse o que fazer pra tirar você da minha cabeça, um lado diz que quer ficar com você o outro diz esqueça...”

A banda Garota Safada, comandada Por Wesley Safadão, se apresentará no Parque leão em Brasília véspera do dia das mães. Sábado, 7 de maio. O repertório está recheado de musicas novas, músicas que estão na boca da galera. Entre elas: Tentativas em Vão, Meu Amanhecer, Paredão da Curtição e Bum Bum Bum é o Barulho do Meu Som.
Vai ser assim na pegada do forró que Brasília vai dançar a noite toda. Ao som de uma das bandas de forró mais populares do nordeste, Garota safada.

Agora é preparar o chinelo e cair no forró!

Desabafo: Quem poderá nos defender?


Brasileiro só fecha a porta depois de roubado. Essa é a coisa mais certa que já ouvi. Depois da tragédia no estado do Rio de Janeiro, onde 12 adolescentes foram assinados dentro da sala de aula, em Realengo, lugar até então seguro, o governo brasileiro fala agora em fazer campanha de desarmamento, isso é um absurdo! Lembro-me que em 2005, a gente teve a chance de desarmar a população, mas o referendo não vingou e ficou por isso mesmo. Agora por outro lado, será mesmo que se tivesse “vingado”, quem garante que a população estaria hoje desarmada? O jeitinho brasileiro está aí para desafiar as nossas regras, que na maioria das vezes são falhas. Lembrando que sou a favor ao desarmamento e quis trazer aqui uma reflexão sobre o assunto. A partir de agora, depois da chacina de Realengo, muito especialista “meia boca” vai aparecer para encher os ouvidos do povo com blá blá blá que em nada acrescentaram. Faço votos para que a população tenha sabedoria para saber ouvir, pois como muitos amigos falaram, nós realmente estamos desprotegidos e sem ninguém para nos amparar.

11 de abr de 2011

UnB confirma: terça-feira, 12, não haverá aula

Por Alfredo Bessow 

Com a dificuldade de comunicação, tendo em vista que as chuvas acabaram causando transtornos na parte de tecnologia de infdormação, a UnB está se valendo do twitter para se comunicar com a comunidade acadêmica e a sociedade em geral. Assim, foi confirmada há pouco a manutenção da suspensão das aulas em todo o Campus Darcy Ribediro nesta terça-feira, dia 12.
Ainda não está decidido oficialmente o retorno das aulas na quarta, decisão que deverá ser comunicada somente na terça-feira, 12, após uma série de exames técnicos. O maior cuidado estrá com a parte das instalações elétricas – pelo temor de choques.
Assim, é esperar para saber se as aulas voltam mesmo na quarta ou,  como defendem alguns, somente na segunda-feira, dia 18.

 




8 de abr de 2011

Sônia Abrão sai do sério no twitter e manda tuiteira pra puta que pariu

A tarde de quinta-feira, (7) foi marcada pela tristeza, por conta da tragédia na zona oeste do RJ. A notícia correu mundo em segundos, passava das 8:30h quando o assunto ocupava os TTs Br, mas outro fato ocuparia mais tarde os tópicos do microblog, Sônia Abrão. A apresentadora de um canal de TV aberto, saiu do sério após receber mensagem desaforada de uma tuiteira anônima, @Lubozzi.

Veja abaixo o que a apresentadora da RedeTV! escreveu:

6 de abr de 2011

Senado distribui iPhones 4 com chips 3G de iPads para Parlamentares

 Alguns Retwittes:
RITA SOUZA
disse: 
RT @: Senado vai distribuir Iphones funcionais p os parlamentares. Chique, não?//Enquanto isso no PI Promotor de Justiça para trabalhar usa o seu particular.
Marilda Correia
@ Chique? Quem vai pagar a conta?
 
E você o que acha de tudo isso?
Ícone - Senado Federal
Poucos dias após lançar um aplicativo oficial para iOS, o primeiro-secretário da Casa, senador Cícero Lucena (PSDB-PB), anunciou hoje que parlamentares receberão iPhones 4 e chips 3G para iPads, além de, num futuro breve, automóveis Toyota Corolla Se-G.
De acordo com matéria publicada pelo Correio Braziliense, a maioria dos senadores ainda estaria com iPhones 3GS e, assim, não seriam capazes de rodar o novo aplicativo. Não sabemos dizer se essa justificativa pífia veio mesmo do Senado foi foi mal-interpretada pelo Correio, porque o app não requer iPhones 4, e sim o sistema operacional iOS 4 — o qual roda perfeitamente em iPhones 3GS.
Embora os smartphones em si serão distribuídos, no caso do iPad apenas os chips de acesso móvel serão colocados ao dispor dos parlamentares. Ainda assim, o custo total do contrato é estimado em R$867 mil anuais.

5 de abr de 2011

Como será trabalhar no Facebook?

Se você é daqueles que preza por um ambiente de trabalho inovador, veja como funciona o escritório do Facebook. Quem não gostaria de trabalhar numa empresa como o Facebook? Eu adoraria, mas, como bem diz a nossa eterna, Lady Katy, "dinheiro eu tenho só me falta me o glamour." 
Veja reprodução que fiz do blog de http://www.brunoluz.com.
Por dentro do escritório do Facebook

A revista americana Time fez uma matéria que mostra como é pulmão de um dos escritórios da empresa de maior destaque na web da atualidade, o Facebook.
A empresa do homem mais poderoso do ano, o jovem milionário Mark Zurckerberg, começou dentro do seu quarto de faculdade e hoje conta com 3 escritórios espalhados pelo mundo, com previsão de abertura de um no Brasil.

Veja algumas imagens de um deles. As fotos são de Martin Schoeller.






Mais fotos podem serem vistas no site da Time.