4 de fev de 2011

Como você rir na net? rsrs, hehe ou KKKKKKKKKKKK?


Do hehe ao kkk: como rir numa mensagem de internet
Cada um deve levar em conta sua disposição para a hilaridade e, naturalmente, o contexto
A resposta à consulta de Stefano é simples, embora também se possa dizer, de um certo ponto de vista, que é impossível. Existe algum “tratado” sobre risadas de internet? Não que eu saiba. Como rir pela internet? Cada um deve tomar essa decisão sozinho, levando em conta sua disposição para a hilaridade e, naturalmente, o contexto.
 
Essa angústia brota do abismo existente entre a comunicação escrita e a oral. Esta, sobretudo de corpo presente, mas até certo ponto também por telefone, tem à sua disposição diversos recursos visuais ou sonoros – expressão facial, gestos, entonação – que temperam o que é dito. A ausência de  tais traços na comunicação escrita faz com que o potencial de mal-entendidos cresça perigosamente. “Tá maluco?”, por exemplo, pode ser uma mensagem cordial ou agressiva. Pode ser escrita em tom cordial e lida em tom agressivo. Ou vice-versa.
 
Tudo isso, porém, já não era verdade nos tempos pré-internéticos, quando a humanidade tinha o hábito de trocar cartas? Sim, mas a correspondência tradicional baseava-se num registro mais formal ou pelo menos mais bem cuidado, em que cabia aos próprios recursos da palavra escrita evitar esse tipo de problema. “Tá maluco?” não é uma frase típica das velhas missivas. Acho mais provável que se escrevesse algo como: “Espero que não me leve a mal, mas, refletindo sobre aquele assunto, sinto-me obrigado a dizer que sua posição parece um tanto desconectada da realidade” – alguma coisa por aí.
 
No meio virtual, a comunicação escrita é inteiramente diferente. Veloz, informal, aproxima-se tanto da oralidade que traz consigo uma série de muletas gráficas, substitutas mais ou menos eficientes dos referidos recursos visuais e sonoros. Os emoticons, aquelas carinhas sorridentes ou zangadas feitas com caracteres, são o protótipo dessa nova “linguagem”. Uma penca de abreviações e onomatopeias completa o arsenal.
 
Hehe, hahaha e rsrs são recursos que já me senti à vontade para usar, embora com parcimônia. Kkkkk, uahuahuah, emoticons e o anglófilo LOL (laughing out loud, “rindo alto”) estão fora do meu repertório. Mas a verdade é que cada um ri como bem entender – questão de hora, lugar, gosto, até mesmo de geração. Se o cardápio parece variado demais, deve-se levar em conta que as risadas verdadeiras têm um número muito maior de nuances. E que numa “conversa mais séria”, como diz Stefano, talvez seja melhor simplesmente não rir.
 
Fonte: Veja

Nenhum comentário:

Postar um comentário