30 de jan de 2011

Saudades eternas!


 Elias Franco da Silva 30/111950 a 25/01/2011.
Naquela manhã de inverno, uma manhã fria de segunda-feira, eram 25 de janeiro, após uma noite de intensas dores e despedidas, o último sorriso, as últimas palavras e o senhor se foi. Hoje estamos conscientes de que para nós, és um anjo e habita o reino dos céus.

Pai, a impressão que temos agora, depois que o senhor partiu é de que fez uma curta viagem e que muito em breve vai estar conosco novamente, sorrindo, brincando... Vivendo. Mas logo vem a certeza de que o senhor, não está mais aqui, nos deixou e foi morar com Deus. Confesso que está sendo difícil acostumar-me, porém sabemos que estás agora em um bom lugar e que aqui na terra semeou bons frutos, fez muitas amizades, viveu cada dia como se fosse o último e mesmo com as dificuldades impostas pela vida, estava sempre com o sorriso estampado no rosto, nunca desanimou diante dos obstáculos, isso nos conforta o coração. O senhor sabia que cada novo dia, tinha a chance de continuar a vida, esquecer as tristezas, as magoas e os rancores de dias difíceis. O senhor foi um homem de fé, sempre acreditava em dias melhores. Católico, pregava sempre o amor e a concórdia, viveu tão intensamente e por isso nunca baixava a cabeça.

Hoje sentimos a sua falta em cada canto da nossa casa, a gente se apega a cada coisa que faz lembrar você, a saudade nos machuca e faz chorar, não estamos tristes, não. O senhor cumpriu a sua missão e era chegado o momento de nos deixar. Mesmo com projetos aqui na terra, sonhos que gostaria de tê-los realizado e conquistas nossas que o senhor não pôde presenciar. Deus te chamou e o senhor, bem sabia que teria agora de servir ao nosso altíssimo e que não dava mais para esperar.

Papai, o Senhor foi um homem íntegro e sempre muito sábio nas suas atitudes, um pai amigo, que entendia cada um de nós como ninguém, um esposo compreensível, um companheiro presente e dedicado a família, por diversas vezes, teve que nos deixar, passava dias fora, trabalhando, alguns de nós você nem viu crescer, pois como chefe de família, precisava educar uma família grande e garantir o nosso futuro, dá nosso sustento e o senhor o fez. Isso sem dúvida nos trouxe aprendizado, os filhos mais velhos cuidavam dos mais novos, ajudando a nossa mãe. Aprendemos cada ensinamento seu. Vamos permanecer unidos, pois foi assim que o senhor nos quis. Somos uma família feliz!

Pai, um dia vamos nos reencontrar e matar a saudade, dessa vez será para sempre, viveremos eternamente juntos.

Saudades eternas de sua esposa luzia, seus filhos Elvis, Edialdo, Antonio Elias, Eilania, Edna, Elizabete, Érica, parentes e amigos.







14 de jan de 2011

Feliz 2011, Cambada!

Um ano novo bem arretado pra vocês tudim !!!!


Conselhos de um Nordestino para um 2011 bem pai d’égua.
     
      Í   Sobre as suas metas para o Ano Novo
 
ü    Anote os seus querê e pendure num lugar que você enxergue todo dia.
ü    Mesmo que seus objetivos estejam lá prá baixa da égua, vale à pena correr atrás. Não se agonie e   nem esmoreça. Peleje.
ü    Se vire num cão chupando manga e mêta o pé na carreira, pois pra gente conseguir o que quer, tem é Zé.
ü    Lembre que pra ficar estribado é preciso trabalhar. Não fique só frescando.
 
  Í  Sobre o amor

ü  Não fique enrolando e arrudiando prá chegar junto de quem você gosta. Tome rumo, avie, se avexe
ü  Dê um desconto prá peste daquela cabrita que só bate fofo com você.  Aperreia ela. Vai que dá certo e nasce um bruguelim réi amarelo.
ü  Você é um corralinda. Se você ainda não tem ninguém, não pegue qualquer marmota. Escolha uma corralinda igual a você.
ü  Não bula no que tá quieto. Num seja avexado, pois de tanto coisar com uma, coisar com outra, você acaba mesmo é com um  chapéu de touro.
ü  As cabritas num devem se agoniar. O certo é pastorar até encontrar alguém pai d'égua. Num devem se atracar com um cabra peba, malamanhado e fulerage. O segredo é pelejar e não desistir nunca. Num peça pinico e deixe quem quiser mangar. Um dia vai aparecer um machoréi da sua bitola.
 
  Í    Sobre o trabalho
 
ü  Trabalhe, num se mêta a besta. Quem num dá um prego numa barra de sabão num tem vez não.   
ü  Se você vive fumando numa quenga, puto nas calças e não agüenta mais aquele seu  chefe réi fulerage, tenha calma, não adianta se ispritar.
Se ele não lhe notou até agora é porque num tá nem aí se você rala o bucho no trabalho. Procure algo melhor e cape o gato assim que puder.
ü  Se a lida não está como você quer, num bote boneco, num se aperreie e nem fique de lundu. Saia com aquele magote de amigos pra tomar uns merol.
Tome umas meiotas e conte uma ruma de piadas que tudo melhora.
 
  Í  Sobre a sua vidinha

ü  Você já é um cagado só por estar vivo. Pense nisso e agradeça a Deus.
ü  Cuide bem dos bruguelos e da mulher. Dê sempre mais que o sustento, pois eles lhe dão o aconchego no fim da lida.
ü  Não fique resmungando e batendo no quengo por besteira. Seje macho e pense positivo. 
ü  Num se avexe, num se aperreie e nem se agonie. Num é nas carreira que se esfola um preá.
 
  Í  Arrumação motivacional

ü  No forró da entrada do ano, coma aquela gororoba até encher o bucho. É prá dar sorte, mas cuidado, senão dá gastura. 
ü  Tome um burrim e tire o gosto com passarinha ou panelada que é prá num perder a mania.
ü  Prá começar o ano dicunforça:
ü  Reflita sobre as besteiras do ano passado e rebole no mato os maus pensamentos.
ü  Murche as orêia, respire fundo e grite bem alto:
 
Sai mundiça !!!
ü  Ah, e não esqueça do grito de guerra, que é prá dar mais sorte ainda:
 
Queima raparigal !!!
 
 Agora é só levantar a cabeça e desimbestar no rumo da venta
que vai dar tudo certo em 2011, afinal de contas você é NORDESTINO.
 E para os que não são da terrinha, mas são doidim prá ser,
nosso desejo é que sejam tão felizes quanto nós.
   Peeeeennnnse num ano que vai ser muito bom.
  Respeite como vai ser pai d’égua esse 2011.

11 de jan de 2011

#AdoteUmDistrital

 – 11 DE JANEIRO DE 2011

Começa a ser discutida esta semana a criação do #AdoteUmDistrital. O objetivo do projeto é fiscalizar e divulgar os atos da Câmara Legislativa do DF e de deputados distritais, por meio de órgãos de imprensa e das mídias sociais. A população também poderá acompanhar informações no site www.adoteumdistrital.com.br.
O #AdoteumDistrital será coordenado pelo comitê Ficha Limpa-DF, que é composto por eleitores e uma das entidades que compõem o MCCE. O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral foi o responsável pela apresentação e aprovação pelo Congresso Nacional do Projeto de Lei que culminou com a sanção presidencial da Lei da Ficha Limpa.
A inspiração para o #AdoteUmDistrital é o projeto Adote um Vereador, de São Paulo, iniciativa do jornalista Milton Jung, da rádio CBN. Lá, os 55 integrantes da Câmara Municipal são ‘apadrinhados’ por um voluntário cada, responsável por acompanhar os trabalhos de perto. Mais dados podem ser obtidos em www.adoteumvereador.net.
A reunião que vai discutir a criação do #AdoteumDistrital vai ocorrer na quinta-feira (13), a partir das 19h, no Edifício da OAB SAS, Qd 05, Bl “N” 1º Andar, Brasília-DF – Mais informações nos telefones: 061 8437-9959 – 061 9989-3424 ou adoteumdistrital@uol.com.br

Comissão define Árbitros da primeira rodada do Candangão 2011



A Federação Brasiliense de Futebol divulgou nesta terça-feira (11) a escalação dos árbitros que vão trabalhar na primeira rodada do Candangão 2011, com início marcado para o próximo sábado (15). Entre os quatro homens do apito, a surpresa é a escalação de Alexandre Andrade, que chegou anunciar o encerramento da carreira durante a festa dos Melhores do Candangão de 2010, promovida pelo portal Esporte Candango. O árbitro está escalado para apitar o duelo entre CFZ x Brasiliense, no Estádio Bezerrão. Já Sandro Meira Ricce, principal nome do quadro da Federação local e que recebeu o escudo da FIFA no final do ano pasado, ficou de fora da primeira escala do ano.
 
CONFIRA A ESCALA COMPLETA

 
CFZ x Brasiliense – Sábado (15) às 16h, no Estádio Bezerrão, no Gama
Árbitro: Alexandre Andrade
Aux. 1: Adalcino José
Aux. 2: Ademário Neves
4º árbitro: Adeneide Lopes
Observador: Bruno
 
Brasília x Botafogo-DF – Sábado (15) às 16h, no Estádio Rorizão, em Samambaia
Árbitro: Jardel Cassemiro
Aux. 1: Almir Camargo
Aux. 2: Adenilson Félix
4º árbitro: Carlos Emanuel
Observador: Deusimar Conceição
 
Gama x Atl. Ceilandense – Domingo (16) às 16h, no Estádio Bezerrão, no Gama
Árbitro: José Caldas
Aux. 1: Daniel Henrique
Aux. 2: Geruse Policarpo
4º árbitro: José Silvestre
Observador: José René
 
Formosa X Ceilândia – Domingo (16) às 16h, no Estádio Diogão, em Formosa-GO
Árbitro: Ciro Chaban
Aux. 1: Dalmiro
Aux. 2: Eduardo Oliveira
4º árbitro: Divino Enes
Observador: Francimar Azevedo
 
Fonte: www.fbfdf.org.br

do-Janio-Gomes-b1/Confira-os-arbitros-para-a-primeira-rodada-do-Candangao-2011-b1-p606.htm

10 de jan de 2011

Blog, uma ferramenta que ainda dá dinheiro


Título Original: Conheça a história de gente que ganha dinheiro com blogs na internet

Histórias sobre como ganhar dinheiro com blogsVocê sabe o que é um blog? É um espaço na internet onde você pode escrever suas ideias, fazer comentários e falar sobre assuntos variados.
E sabia que tem muita gente ganhando dinheiro com isso? A videomakerRenata Pereira, por exemplo, é apaixonada por maquiagens e ganha dinheiro dando dicas para o visual. Para a gravação ela usa dois espelhos e uma câmera. Com o blog ela recebe cerca de R$ 2.500 por mês. “O segredo é se divertir e ser sincera, sempre”, disse.
Outra blogueira que ganha dinheiro com internet é a Ronilda Ribeiro. Ela vende artesanato e recebe as encomendas em sua página. “Já vendi até para os Estados Unidos. Este mês, por exemplo, eu que sustentei a casa. Paguei as minhas contas, o colégio da minha filha, tudo com meu artesanato”, explicou Ronilda.
Mais Você também mostrou a história do blogueiro Carlos Rua, que deixou para trás o emprego e resolveu se dedicar aos seus personagens de humor para ganhar dinheiro. O humor garante a ela cerca de R$ 2 mil por mês. “Trabalhar em casa tem o lado bom, mas não dá pra relaxar e ficar o dia todo vendo TV. Para ganhar dinheiro você precisa procurar anunciantes, patrocinador – que é muito mais seguro e te dá uma renda fixa. A terceira maneira de ganhar dinheiro é colocando produtos no teu site”, explicou. Internet pode ser um bom negócio porque o número de usuários no Brasil é muito grande: São 67 milhões e 700 mil pessoas.
Como ganhar dinheiro com blogs
Para explicar as diversas formas de se ganhar dinheiro com blogAna Maria conversou com o jornalista e blogueiro Rafael Capanema. “Cosméticos, quadrinhos, música e tecnologia rendem bem. Ao fazer o blog você também tem acesso a relatórios e fica sabendo dos detalhes dos acessos. A partir daí você pode ganhar dinheiro com os anúncios”, disse.

Aprendendo a Criar um Blog

Curso de E-Commerce ministra mensalmente o curso sobre Criação e Administração de Blogsem que você aprende todas as técnicas para o desenvolvimento de um blog profissional. Para maiores informações clique aqui.
Fonte: Mais Você

6 de jan de 2011

As redes sociais são hoje local para novas oportunidades profissionais

Para aqueles que pensam que as redes sociais são apenas para bate papo ou até mesmo para postar fotos da última viagem de férias, estão completamente enganados. Reproduzo aqui, texto que encontrei no site de O dia online. O artigo fala das chances de oportunidades profissionais nas mais diversas mídias sociais.

Boa leitura!

Título original: Como usar as redes sociais para mostrar seu talento e conseguir oportunidades


POR LOUISE PERES
Rio - Se você acha que os seus perfis nas redes sociais são utilizados apenas com fins de entretenimento, talvez seja melhor rever sua opinião. Mesmo quem não trabalha com Twitter, Facebook, Orkut ou YouTube pode ter, nesses sites de relacionamento, ferramentas úteis também para a vida profissional. As empresas de recrutamento e seleção estão de olho em todas as informações que você publica na Web, e isso pode ser utilizado a seu favor.
Portanto, se você procura oportunidades como designer, programador ou fotógrafo, por exemplo, suas páginas nas redes podem funcionar como plataforma de divulgação do que você sabe fazer. Publique seus melhores cliques no Flickr. Criou um aplicativo para o Facebook? Coloque-o em sua página. Escreveu um texto bacana? Divulgue-o em um blog. Quer trabalhar com vídeo? Não há melhor canal de divulgação do que o YouTube.

”Principalmente candidatos a cargos nas áreas de Tecnologia, Comunicação e Negócios, que lidam mais com inovação, são pessoas antenadas, que usam as redes sociais não só para se relacionar, mas também para mostrar seus trabalhos”, aponta Edney Souza, professor e consultor em mídias sociais. 

A partir dessas amostras, um profissional de RH pode avaliar um pouco do seu trabalho e perceber do que você é capaz. “Os comentários, recomendações, elogios, o grande número de visualizações, tudo pode ser levado em conta pelo recrutador que avalia. Se o vídeo for popular, a gente consegue ter uma ideia se o material é bom”, opina Edney.

Você é daqueles que “tranca” tudo e deixa apenas seus amigos verem o que você publica? Pois para fazer das redes sociais um portfolio digital, o usuário precisa abrir mão de determinadas configurações de privacidade. Mas será que vale a pena, para fins profissionais, deixar público o acesso a suas informações? Especialistas acreditam que sim. “As consultorias estão cada vez mais utilizando as redes sociais para buscar candidatos. O que é publicado pelo profissional em sites de relacionamento também pode contar a favor dele”, garante Luis Testa, gerente de marketing do Vagas.com.br. Edney Souza concorda e diz ser a favor de manter pública a maior parte dos dados em um perfil. Para ele, restringir o acesso nas redes tem vantagens e desvantagens. “Você tem mais liberdade de publicação, mas impede que qualquer coisa bacana, divertida, inteligente que tenha feito seja vista pelas outras pessoas. E o que mais tem hoje é gente vasculhando as redes sociais. Muita gente consegue oportunidades pelo que posta em seus perfis”, explica o consultor.

Bom senso é a norma

Quem não é totalmente novato na Internet sabe que o conteúdo publicado nas redes sociais pode ser determinante na vida profissional. Não à toa aparecem, de vez em quando, um ou outro funcionário demitido devido ao comportamento inadequado em sites de relacionamento. Entre os principais motivos, posts preconceituosos, críticas incompatíveis com a postura da empresa ou fotos e mensagens comprometedoras. 

“Como em qualquer ambiente, o bom senso deve reger suas atitudes também na Web”, recomenda Edney.

Portanto, pense bem antes de postar e por em risco seu emprego. Na era das câmeras digitais, todo cuidado é pouco. Mesmo que você não poste aquela sua foto impublicável do último churrasco, sempre tem um amigo pra dividir com o resto da rede e marcar você na imagem. Para minimizar os estragos, desative o recurso.

Contatos profissionais

As relações profissionais também migraram para a rede, e já existem pela Web vários sites de relacionamento dedicados a fins profissionais. No Brasil, os mais famosos são o LinkedIn (br.linkedin.com ) e o Via6 (www.via6.com). Ambos tem como objetivo manter em atividade a vida profissional do usuário, estimulando a comunicação com outros profissionais e a ampliação de sua rede de contatos. 

Os perfis são semelhantes a currículos: trazem informações sobre a formação e a experiência profissional do indivíduo, além de suas pretensões, cursos complementares e especialidades. E o mais legal: no LinkedIn, dá pra fazer recomendações sobre um profissional com quem você já trabalhou e também receber comentários dos seus colegas. Imagine receber um post positivo de um ex-chefe?

Inclusive as empresas de recrutamento marcam presença nessas redes para procurar talentos. Vagas, Curriculum e Catho Online possuem seus “grupos”(espécie de comunidade)no LinkedIn. “É uma ferramenta qualificada de networking. Empresas que anunciam conosco fazem buscas também na rede social”, afirma Luis Testa, do site Vagas.com.br.

Atitude dos jornalistas é o principal motivo da crise na profissão diz Especialista



Redação Portal IMPRENSA

Um articulista do Knight Digital Media Center, organização norte-americana que auxilia jornalistas no treinamento e especialização em novas mídias, afirmou que o maior problema da indústria do Jornalismo é a atitude de alguns jornalistas. 

De acordo com Robert Niles - considerado pela Universidade de Columbia como um dos maiores especialistas em Jornalismo online -, o advento da Internet, o corte de empregos e a crise de anunciantes não se comparam ao pessimismo de alguns jornalistas que "chafurdam em uma cultura do fracasso". 

Na opinião de Niles, as mudanças repentinas no mercado causaram paralisia em alguns profissionais e os transformaram em jornalistas que preferem culpar centenas de outros fatores a repensar suas atitudes em relação à profissão.

Segundo ele, estes jornalistas compartilham as seguintes considerações sobre o mercado e seus colegas: Jornalistas má atitude para com os seus negócios se manifesta: "As pessoas devem se comunicar online de acordo com as nossas regras; leitores devem pagar mais por nossa reportagem, editores online (neste caso, Julian Assange) devem ter, como nós, uma boa relação com os poderosos.

Por fim, na opinião de Niles, os que escolheram o caminho das queixas em detrimento de tentar modificar o mercado, esperam comodamente por suas aposentadorias, deixando para a próxima geração de jornalistas a tarefa de estipular novos parâmetros para a carreira. (leia aqui o artigo completo).

5 de jan de 2011

Marisa Letícia Lula da Silva: Mulher de fibra e elegância

Marisa, Lula e Dilma

Título Original: Os ataques implacáveis a Marisa Letícia


Foram oito anos de bombardeio intenso, tiroteio de deboches, ofensas de todo jeito, ridicularia, referências mordazes, críticas cruéis, calúnias até. E sem o conforto das contrapartidas. Jamais foi chamada de "a Cara" por ninguém, nem teve a imprensa internacional a lhe tecer elogios, muito menos admiradores políticos e partidários fizeram sua defesa. À "companheira" número 1 da República, muito osso, afagos poucos.
dirão os de sempre, e as mordomias? As facilidades? O vidão? E eu rebaterei: E o fim da privacidade? A imprensa sempre de olho, botando lente de aumento pra encontrar defeito? E as hostilidades públicas? E as desfeitas? E a maneira desrespeitosa com que foi constantemente tratada, sem a menor cerimônia, por grande parte da mídia? Arremedando-a, desfeiteando-a, diminuindo-a? E as frequentes provas de desconfiança, daqui e dali? E - pior de tudo - os boatos infundados e maldosos, com o fim exclusivo e único de desagregar o casal, a família?
Ah, meus queridos, Marisa Letícia Lula da Silva precisou ter coragem e estômago para suportar esses oito anos de maledicências e ataques. E ela teve.    
Começaram criticando-a por estar sempre ao lado do marido nas solenidades. Como se acompanhar o parceiro não fosse o papel tradicional da mulher mãe de família em nossa sociedade.
Depois, implicaram com o silêncio dela, a "mudez", a maneira quieta de ser. Na verdade, uma prova mais do que evidente de sua sabedoria. Falar o quê, quando, todos sabem, primeira-dama não é cargo, não é emprego, não é profissão?
Ah, mas tudo que "eles" queriam era ver dona Marisa Letícia se atrapalhar com as palavras para, mais uma vez, com aquela crueldade venenosa que lhes é peculiar, compará-la à antecessora, Ruth Cardoso, com seu colar pomposo de doutorados e mestrados.
Agora, me digam, quantas mulheres neste grande e pujante país podem se vangloriar de ter um doutorado? Assim como, por outro lado, não são tantas as mulheres no Brasil que conseguem manter em harmonia uma família discreta e reservada, como tem Marisa Letícia.
E não são também em grande número aquelas que contam, durante e depois de tantos anos de casamento, com o respeito implícito e explícito do marido, as boas ausências sempre feitas por Luís Inácio Lula da Silva a ela, o carinho frequentemente manifestado por ele. E isso não é um mérito? Não é um exemplo bom?    
Passemos agora às desfeitas ao que, no entanto, eu considero o mérito mais relevante de nossa ex-primeira-dama: a brasilidade.
Foi um apedrejamento sem trégua, quando Marisa Letícia, ao lado do marido presidente, decidiu abrir a Granja do Torto para as festas juninas. A mais singela de nossas festas populares, aquela com Brasil nas veias, celebrando os santos de nossas preferências, nossa culinária, os jogos e brincadeiras. Prestigiando o povo brasileiro no que tem de melhor: a simplicidade sábia dos Jecas Tatus, a convivência fraterna, o riso solto, a ingenuidade bonita da vida rural. Fizeram chacota por Lula colar bandeirinhas com dona Marisa, como se a cumplicidade do casal lhes causasse desconforto.
Imprensa colonizada e tola, metida a chique. Fazem lembrar "emergentes" metidos a sebo que jamais poderiam entender a beleza de um pau de sebo "arrodeado" de fitinhas coloridas. Jornalistas mais criteriosos saberiam que a devoção de Marisa pelo Santo Antônio, levado pelo presidente em estandarte nas procissões, não é aprendida, nem inventada. É legitimidade pura. Filha de um Antônio (Antônio João Casa), de família de agricultores italianos imigrantes, lombardos lá de Bérgamo, Marisa até os cinco de idade viveu num sítio com os dez irmãos, onde o avô paterno, Giovanni Casa, devotíssimo, construiu uma capela de Santo Antônio. Até hoje ela existe, está lá pra quem quiser conferir, no bairro que leva o nome da família de Marisa, Bairro dos Casa, onde antes foi o sítio de suas raízes, na periferia de São Bernardo do Campo. Os Casa, de Marisa Letícia, meus amores, foram tão imigrantes quanto os Matarazzo e outros tantos, que ajudaram a construir o Brasil.    
Outro traço brasileiro dela, que acho lindo, é o prestígio às cores nacionais, sempre reverenciadas em suas roupas no Dia da Pátria. Obras de costureiros nossos, nomes brasileiros, sem os abstracionismos fashion de quem gosta de copiar a moda estrangeira. Eram os coletes de crochê, os bordados artesanais, as rendas nossas de cada dia. Isso sim é ser chique, o resto é conversa fiada.
No poder, ao lado do marido, ela claramente se empenhou em fazer bonito nas viagens, nas visitas oficiais, nas cerimônias protocolares. Qualquer olhar atento percebe que, a partir do momento em que se vestir bem passou a ser uma preocupação, Marisa Letícia evoluiu a cada dia, refinou-se, depurou o gosto, dando um olé geral em sua última aparição como primeira-dama do Brasil, na cerimônia de sábado passado, no Palácio do Planalto, quando, desculpem-me as demais, era seguramente a presença feminina mais elegante. Evoluiu no corte do cabelo, no penteado, na maquiagem e, até, nos tão criticados reparos estéticos, que a fizeram mais jovem e bonita.
Atire a primeira pedra a mulher que, em posição de grande visibilidade, não fez uma plástica, não deu uma puxadinha leve, não aplicou uma injeçãozinha básica de botox, mesmo que light, ou não recorreu aos cremes noturnos. Ora essa, façam-me o favor!   Cobraram de Marisa Letícia um "trabalho social nacional", um projeto amplo nos moldes do Comunidade Solidária de Ruth Cardoso. Pura malícia de quem queria vê-la cair na armadilha e se enrascar numa das mais difíceis, delicadas e técnicas esferas de atuação: a área social.
Inteligente, Marisa Letícia dedicou-se ao que ela sempre melhor soube fazer: ser esteio do marido, ser seu regaço, seu sossego. Escutá-lo e, se necessário, opinar. Transmitir-lhe confiança e firmeza. E isso, segundo declarações dadas por ele, ela sempre fez. Foi quem saiu às ruas em passeata, mobilizando centenas de mulheres, quando os maridos delas, sindicalistas, estavam na prisão. Foi quem costurou a primeira bandeira do PT. E, corajosa, arriscou a pele, franqueando sua casa às reuniões dos metalúrgicos, quando a ditadura proibiu os sindicatos. Foi companheira, foi amiga e leal ao marido o tempo todo.
Foi amável e cordial com todos que dela se aproximaram. Não há um único relato de episódio de arrogância ou desfeita feita por ela a alguém, como primeira-dama do país. A dona de casa que cuida do jardim, planta horta, se preocupa com a dieta do maridão e protege a família formou e forma, com Lula, um verdadeiro casal. Daqueles que, infelizmente, cada vez mais escasseiam.    Este é o meu reconhecimento ao papel muito bem desempenhado por Marisa Letícia Lula da Silvanesses oito anos.
Tivesse dito tudo isso antes, eu seria chamada de bajuladora. Esperei-a deixar o poder para lhe fazer a Justiça que merece.