28 de out de 2010

Entrevista, como se comportar

Do blog: http://www.blogfellipelli.com.br

Na entrevista de emprego você é o produto, o recrutador é o cliente. Venda as suas competências sem se deixar levar pelo marketing enganoso.
Quando a competência técnica era suficiente para gerar contratações bastava ter um bom currículo que o sucesso profissional vinha à tona. Com a globalização e a competitividade empresarial as exigências aumentaram. Nesse contexto, uma eclosão de consultores de carreira aproveitou o nicho de mercado para ganhar dinheiro ajudando profissionais a convencerem os recrutadores de que eram as pessoas ideais para ocupar os postos disponíveis.
Só que entrevista de emprego não é receita de bolo. Técnicas contribuem para o êxito nesta etapa, mas não garantem a vaga. Uma contratação depende do tripé empresa-recrutador-entrevistado e seus perfis. Mas num ponto os consultores são unânimes: na relação selecionador versus profissional deve prevalecer a sinceridade.
“O quanto é interessante o “faz de conta” se, dessa forma, o profissional não vai conseguir ficar nem três meses na organização?”, questiona Daniela Amorim, gerente de gestão de pessoas da Unimed, empresa especializada em saúde.
Todavia, é importante estabelecer um limite na franqueza com o entrevistador. Nem todas as falhas de carreira devem ser reveladas, pois alguns deslizes podem eliminar do processo de seleção.
“É muito prazeroso para o recrutador ver que o entrevistado é uma pessoa real, cujos deslizes e fracassos foram corrigidos. Entretanto, ser muito sincero é um perigo. Não é recomendado contar todos os detalhes da vida profissional. É preciso bom senso”, pondera Mariana Portela, consultora de desenvolvimento organizacional da Fellipelli.
Para as consultoras, no cara a cara com o selecionador o profissional deve se comportar como um vendedor, sem cair na tentação do marketing enganoso. Vale lembrar que a embalagem do produto (imagem) é tão importante quanto o conteúdo (conhecimento). Confira as dicas das especialistas para o alcance do sucesso nesta fase do processo.
1. Seja objetivo e focado
O recrutador não está interessado em ouvir histórias. Então, vá direito ao ponto. Responda apenas o que ele perguntar.
2. Não diga que seu defeito é uma qualidade
Perfeccionismo é qualidade. Não seja ingênuo a ponto de achar que vai conseguir driblar o selecionador. Aponte uma dificuldade e diga o que está fazendo para saná-la.
3. Olhe nos olhos
Dar atenção ao receptor é fundamental para uma relação plena. É pelo contato visual que o entrevistador vai analisar a honestidade, a segurança e o interesse do candidato.
4. Fale corretamente
Fluência em línguas estrangeiras é requisito básico em diversas áreas, mas não é uma exigência unânime. Um inglês “enroscado” pode até passar, contudo, falhas no português desclassificam o candidato. Utilize uma linguagem clara e concisa. O recrutador dispensa formalidade.
5. Não se ache “O cara”
Autoelogios não são bem-vindos em uma entrevista de emprego. Apresente suas competências com naturalidade que elas serão reconhecidas.
6. Revele seus cases de sucesso
Contar exemplos de êxito e fracasso é a base da entrevista por competências. Sempre que houver oportunidade insira brevemente em sua fala projetos desenvolvidos por você nas empresas e os resultados obtidos.
7. Tenha empatia
Coloque-se no lugar do selecionador. Ele tem o papel de encontrar o profissional mais adequado ao cargo disponível. Não pode se dar ao luxo de decepcionar a organização. Se fosse ele, como conduziria a entrevista?

27 de out de 2010

Seminário Internacional Mudanças Climáticas

Ceará: Jornalista é demitido por fazer matéria sobre Marxismo

Reproduzo aqui texto publicado pelo Sindicato dos Jornalistas do Ceará.

No momento em que a grande mídia distorce e critica o projeto de indicação aprovado na Assembleia Legislativa do Ceará, que propõe a criação do Conselho Estadual de Comunicação - sob a alegação de que vai "cercear a liberdade de expressão"­ -, o jornal Diário do Nordeste demitiu de forma arbitrária, no último dia 18 de outubro, o jornalista Dawton Moura, por ter escrito e editado matéria no Caderno 3 sobre as revoluções marxistas que marcaram os séculos XIX e XX.
O caderno especial, de seis páginas, foi considerado pela direção da empresa "panfletário" e "subversivo", além de "inoportuno ao momento atual".Tendo, entre outras fontes, o filósofo Michael Löwi, que estaria em Fortaleza para lançar o livro "Revoluções" (com imagens que marcaram os movimentos contestatórios decisivos para a história dos últimos dois séculos), a matéria foi pautada pelo editor-chefe do jornal, Ildefonso Rodrigues, tendo sido sugerida pela historiadora e professora Adelaide Gonçalves, da Universidade Federal do Ceará (UFC). No entanto, ao comunicar a demissão do jornalista, o editor-chefe se limitou a dizer que "não sabia o conteúdo da reportagem até vê-la publicada".
O caso do jornalista Dawton Moura não se trata de demissão por delito de opinião, pois ele não emitiu, em qualquer momento, juízo de valor sobre o conteúdo da pauta. Perdeu o emprego muito menos por incompetência ou negligência na sua função. Ironicamente, o trabalhador foi dispensado simplesmente por cumprir uma pauta que, depois de publicada, percebeu-se ser contra os interesses da empresa. A direção do jornal não pode alegar, no entanto, que desconhecia o conteúdo da matéria, pois além de ter sido pautado pelo editor-chefe, o assunto foi relatado em, pelo menos, quatro reuniões de pauta que antecederam sua publicação.
A demissão do então editor do Caderno 3 expõe o abismo entre o discurso da grande mídia conservadora, que se diz ameaçada em sua liberdade de expressão ­- ­inclusive atacando com este falso argumento o projeto do Conselho de Comunicação do Estado -, e suas práticas cotidianas, restritivas ao exercício profissional dos jornalistas, bem como à livre opinião de colaboradores e leitores. "O Sindicato dos Jornalistas do Ceará protesta contra esta demissão arbitrária e mantém sua luta pela verdadeira liberdade de expressão para os jornalistas e para todos os brasileiros, manifestada em projetos como o do Conselho de Comunicação", afirma o presidente do Sindjorce, Claylson Martins



Fonte: Sindicato dos Jornalistas do Ceará

Brasil ajuda Haiti no combate à cólera

Em tempos de campanha política, as boas ações em geral passam despercebidas, é que os meios de comunicação, responsaveis por pautarem informações, mudam o foco totalmente. Então eu, simples blogueiro quis aqui sair um pouco da política e trazer a tona um assunto que vem assolando a população sofrida do Haiti.

Veja essa bela matéria que extraí do site da OPAS/OMS.

A Representação da OPAS/OMS no Brasil e a Secretaria de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde (SGTES) do Ministério da Saúde do Brasil estão colaborando com o governo do Haiti no combate à epidemia de cólera. A equipe de professores brasileiros que também vai atuar na formação de agentes comunitários de saúde do Haiti chegou a Porto Príncipe no dia 20 de outubro de 2010, assessorada pela Coordenadora Geral de Ações Técnicas em Educação na Saúde da SGTES, Clarice Ferraz, e pela consultora da OPAS/OMS Cláudia Marques.
A foto acima registra a cerimônia de abertura do curso, dia 25 de outubro, cujo primeiro módulo do currículo- elaborado por profissionais brasileiros das Escolas Técnicas de Saúde do SUS e traduzido para o francês pelo consultor da OPAS/Haiti, Philippe Montagut, foi re-avaliado pelos professores haitianos, brasileiros e cubanos para melhor contextualização à realidade social, epidemiológica e cultural do Haiti.
O curso tem 60 alunos divididos em duas turmas. Três professores brasileiros que participam da capacitação são assessores técnicos do DEGES/MS, Katerine Moraes, Estela Padilha e Lanusa Ferreira, e os outros quatro são de Escolas Técnicas do SUS, sendo dois da ETSUS Bahia, Rafael Santos e Joelma Barbosa, e dois da ETSUS Paraná, Cláudia Pilotto e Arlete Barzenski. Na foto ao lado, a consultora da OPAS/OMS, Cláudia Marques, dá as boas-vindas aos alunos.
Diante da situação da grave epidemia de cólera que atinge o país, os alunos do curso receberão, a partir da primeira aula, orientações sobre a prevenção e os cuidados necessários para evitar a da enfermidade propagação nas comunidades, especialmente aquelas residentes nos acampamentos e submetidas a precárias condições ambientais e sanitárias.
A OPAS/Haiti está atuando ativamente no controle da epidemia e solicitou apoio da equipe brasileira para a elaboração de protocolos de gestão da cólera em serviços hospitalares. Duas enfermeiras, uma docente da Escola Técnica do SUS Bahia Professor Jorge Novis, Joelma Barbosa e outra do Centro Formador de Recursos Humanos Caetano Munhoz da Rocha/PR, Cláudia Pilotto, estão disponibilizadas integralmente para atuar junto ao comitê gestor da epidemia, na OPAS/Haiti.



26 de out de 2010

Morre Romeu Tuma

Do G1
O senador Romeu Tuma (PTB), 79 anos, morreu na tarde nesta terça (26) em São Paulo. A informação foi confirmada por um dos filhos dele, o médico Rogério Tuma.
Tuma estava internado desde setembro no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Neste mês, o senador passou por uma cirurgia para implantação de um coração artificial, devido a uma grave insuficiência cardíaca.




22 de out de 2010

Atualize-se, jornalista

Galera, hoje tava aqui fuçando os murais do STF, onde trabalho atualmente, encontrei alguns cursos e entres esses, dois me chamaram a atenção. Talvez pelo fato de ser jornalista e adorar cursos ligados à minha área. O curso de Jornalismo Jurídico e uma oficina de fotografia são duas boas opções de reciclagem e aprendizado. O primeiro, (Jornalismo Jurídico) já se inicia na próxima semana, terça-feira, 26. Abaixo segue as informções completas sobre a programação e contatos para inscrição. Bom depois se alguém se interessar, passo os demais cursos, tem para todos os gostos. [riso]. Mas para que vcs não percam tempo, envio o link do site da OAB/DF, que é onde serão realizadas as oficinas.

Boa aula!


Sigam abaixo a programação dos cursos.

OUTUBRO/NOVEMBRO
Curso: Jornalismo Jurídico
Data: 26, 28/10, 4, 9, 11 e 16 de novembro - Veja o conteúdo do curso
Horário: 19h30 às 22h30
Professor: Asdrubal Júnior - Curriculum Lattes
Local: OAB/DF, 516 norte
Carga horária: 18 horas aula

NOVEMBRO
Curso: Oficina Básica de Fotografia
Data: 9, 13, 16, 20, 23, 27, 30/11 e 4 de dezembro.
Horário: (19h30 às 22h30 - terças-feiras) e (aos sábados, aula externa)
Professor: Cristiano Nunes
Local: Sede OAB/DF, 516 Norte
Carga horária: 24 horas/aula

Informações:
(061) 3035-7292
(061) 3225-5724
CURSOS E EVENTOS - ESA/DF

Segue o link do site com os cursos disponíveis.

Copie e cole a url para acessar ao site.
http://www.oabdf.org.br/textos/457/27357/Programacao2SemestreEsa/?slT=6

20 de out de 2010

Paz nas Torcidas...

O dia em que aderimos ao Movimento Nacional Paz nas Torcidas!
"...E nós insistimos em seguir, porquê sentimos em nosso íntimo, que temos uma missão...

Uma linda Missão... SERMOS FELIZES!"
Quem é da #PaznasTorcidas !

A campanha #paznastorcidas está sendo um sucesso. E aqui estão os blogs que estão participando com textos. Se você quiser participar também, avise-me que incluo e divulgo. Muito obrigada a todos!


Nossa campanha pela paz começou há um ano neste blog que também postou um texto novo:

http://paimaneco.blogspot.com/2010/10/paz-nas-torcidas.html
Blogs pela paz:
http://nequidnimis.wordpress.com/2010/10/15/paz-nas-torcidas/
http://senhorsoares.blogspot.com/2010/10/paznastorcidas.html
http://umbandavr.blogspot.com/2010/10/paz-nas-torcidas.html
http://www.eusouflamengo.com/blogdovinicius/2010/10/movimento-paznastorcidas/
http://osnigomes.blogspot.com/2010/10/paz-nas-torcidas.html
http://agentesentimental.blogspot.com/2010/10/paz-nas-torcidas.html
http://seguindoocaminhodomeio.blogspot.com/2010/10/pela-paz.html
http://lucianonunes007.blogspot.com/2010/10/quando-paixao-se-transforma-em.html?spref=tw
http://gisele-gitz.blogspot.com/2010/10/paz-nas-torcidas.html
http://manualdasencalhadas.com.br/blog/archives/3732
http://setedobem.wordpress.com/2010/10/17/paznastorcidas/
http://parana21.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=138&Itemid=1
http://lucasfdesousa.blogspot.com/2010/10/escreva-bem-para-o-bem.html
http://coisadeboticario.blogspot.com/2010/10/meus-filhos-foram-levados-pelo-pai-aos.html?spref=tw
http://luzesesonhos.blogspot.com/2010/10/paz-sempre.html
http://ouradolescence.tumblr.com/post/1322268670/paznastorcidas-leiam
http://verdadeespirita.blogspot.com/2010/10/paz-nas-torcidas.html
http://momentospoliciais.blogspot.com/2010/10/paz-nas-torcidas.html
http://iyalorisaelainetiosun.blogspot.com/2010/10/campanha-paznastorcidas.html
http://andjhel.blogspot.com/2010/10/paznastorcidas-vista-voce-tambem-essa.html
http://marcelamarcos.blog.com/2010/10/19/paz-nas-torcidas-a-urgencia-social-brasileira/
http://to-deolho.blogspot.com/2010/10/paz-nas-torcidas.html
http://dorogerinho.blogspot.com/

Vem aí a Festa Trio 2010

Para quem adora balada essa é uma boa pedida. Festa que já virou tradição na capital de todos nós brasileiros. A Festa Trio chega com novidades. Então, caia na dança e aproveite. A final, a vida é uma festa. Festa Trio 2010.

Reproduzi texto do site: brasilia.deboa.com




Está chegando a maior Festa Trio que Brasília já teve, com Jammil, Pedro Paulo e Matheus Elétrico e Thais Moreira no Pavilhão do Parque da Cidade.

SERVIÇO:
Dia 30 de outubro a partir das 17h.
Data: 30 de Outubro, Sábado.
Hora: 17h.
Local: Pavilhão do Parque da Cidade.

INGRESSOS
Área VIP - Feminino: R$ 40,00 / Masculino: R$ 50,00

Camarote Zimbrus - Feminino: R$ 70,00 / Masculino: R$ 100,00
(Open Bar de cerveja, vodka, energético, refrigerante e água e mesas de frios)

§                       Ingresso em Todo Lugar (Tele-Entrega): (61) 3468-1820 / 8415-1136 / 9301-6112

19 de out de 2010

O vaqueiro (editando)

Patativa do Assaré

Eu venho dêrne menino,
Dêrne munto pequenino,
Cumprindo o belo destino
Que me deu Nosso Senhô.
Eu nasci pra sê vaquêro,
Sou o mais feliz brasilêro,
Eu não invejo dinhêro,
Nem diproma de dotô.



Sei que o dotô tem riquêza,
É tratado com fineza,
Faz figura de grandeza,
Tem carta e tem anelão,
Tem casa branca jeitosa
E ôtas coisa preciosa;
Mas não goza o quanto goza
Um vaquêro do sertão.

Da minha vida eu me orgúio,
Levo a Jurema no embrúio
Gosto de ver o barúio
De barbatão a corrê,
Pedra nos casco rolando,
Gaios de pau estralando,
E o vaquêro atrás gritando,
Sem o perigo temê.

Criei-me neste serviço,
Gosto deste reboliço,
Boi pra mim não tem feitiço,
Mandinga nem catimbó.
Meu cavalo Capuêro,
Corredô, forte e ligêro,
Nunca respeita barsêro
De unha de gato ou cipó.

Tenho na vida um tesôro
Que vale mais de que ôro:
O meu liforme de côro,
Pernêra, chapéu, gibão.
Sou vaquêro destemido,
Dos fazendêro querido,
O meu grito é conhecido
Nos campo do meu sertão.

O pulo do meu cavalo
Nunca me causou abalo;
Eu nunca sofri um galo,
pois eu sei me desviá.
Travesso a grossa chapada,
Desço a medonha quebrada,
Na mais doida disparada,
Na pega do marruá.


Se o bicho brabo se acoa,
Não corro nem fico à tôa:
Comigo ninguém caçoa,
Não corro sem vê de quê.
É mêrmo por desaforo
Que eu dou de chapéu de côro
Na testa de quarqué tôro
Que não qué me obedecê.

Não dou carrêra perdida,
Conheço bem esta lida,
Eu vivo gozando a vida
Cheio de satisfação.
Já tou tão acostumado
Que trabaio e não me enfado,
Faço com gosto os mandado
Das fia do meu patrão.

Vivo do currá pro mato,
Sou correto e munto izato,
Por farta de zelo e trato
Nunca um bezerro morreu.
Se arguém me vê trabaiando,
A bezerrama curando,
Dá pra ficá maginando
Que o dono do gado é eu.

Eu não invejo riqueza
Nem posição, nem grandeza,
Nem a vida de fineza
Do povo da capitá.
Pra minha vida sê bela
Só basta não fartá nela
Bom cavalo, boa sela
E gado pr’eu campeá.

Somente uma coisa iziste,
Que ainda que teja triste
Meu coração não resiste
E pula de animação.
É uma viola magoada,
Bem chorosa e apaxonada,
Acompanhando a toada
Dum cantadô do sertão.


Tenho sagrado direito
De ficá bem satisfeito
Vendo a viola no peito
De quem toca e canta bem.
Dessas coisa sou herdêro,
Que o meu pai era vaquêro,
Foi um fino violêro
E era cantadô tombém.

Eu não sei tocá viola,
Mas seu toque me consola,
Verso de minha cachola
Nem que eu peleje não sai,
Nunca cantei um repente
Mas vivo munto contente,
Pois herdei perfeitamente
Um dos dote de meu pai.

O dote de sê vaquêro,
Resorvido marruêro,
Querido dos fazendêro
Do sertão do Ceará.
Não perciso maió gozo,
Sou sertanejo ditoso,
O meu aboio sodoso
Faz quem tem amô chorá.

Federal - O filme



Disponível em: http://www.zevariedades.com/
Federal é um filme policial que estreia no dia 29/10/2010 e conta com os seguintes atores: Selton Mello, Carlos Alberto Riccelli, Eduardo Dussek, Carolina Gomez e Michael Madsen sob direção de Eryk de Castro. Dani, agente especial da Polícia Federal, une-se ao delegado Vital e outros homens do grupo de elite do Comando de Operações Táticas da Polícia Federal para caçarem o playboy Carlos Beque Batista Federal, responsável por colocar a cidade de Brasília na rota do tráfico internacional de cocaína.

18 de out de 2010

Brasília para mesmo na faixa?

Hoje cedo quando saía de casa para vir ao trabalho, me deparei com uma situação que a cada dia torna-se corriqueira aqui em Brasília. Motoristas, homens e mulheres desobedecem e não param na faixa de pedestre. No percurso que faço todos os dias da minha casa até o metrô, - meio de transporte que utilizo para vir trabalhar, - tem algumas faixas de pedestre, e há alguns dias venho me irritando com tamanha falta de respeito. Os condutores irresponsáveis, por sua vez, não estão nos dando este direito, quando sinalizamos a obrigação destes é parar, mas não tem acontecido, pelo menos comigo. Estou falando de hoje por que, pelo menos três motoristas não pararam pra mim, na faixa, numa única faixa, quando sinalizei. Do que adianta, ter faixas, se eles não param? Será que preciso esperar baixar o fluxo de carros na via para só assim atravessar? Correndo risco? Ou será que esses, precisam de reciclagem e consciência de que parar na faixa é uma obrigação? Fico com a segunda opção, por que sou cidadão e mereço ser respeitado, pelo menos na faixa de pedestre.

15 de out de 2010

15 de outubro, dia do Professor


Alguns mestres que fizeram parte da minha vida estudantil.
Arnaldo Cerqueira, FACITEC

Vania Balbino

Daniel Laurent

Willian Goçalves

Sérgio Ribeiro

Ao mestre com Carinho
Mestre...é aquele que caminha com o tempo, propondo paz, fazendo comunhão, despertando sabedoria .Mestre é aquele que estende a mão, inicia o diálogo e encaminha para a a aventura da vida.Não é o que ensina fórmulas, regras, raciocínios,mas o que questiona e desperta para a realidade.Não é aquele que dá de seu saber,mas aquele que faz germinar o saber do discípulo .Mestre é você, meu professor amigo que me compreende,me estimula, me comunica e me enriquece com sua presença,seu saber e sua ternura .Eu serei sempre um discípulo na escola da vida .Obrigada, professor !
N.MACCARI

Feliz dia, Professor!

No dia do Professor, reflitamos sobre esse profissional tão importante e tão especial em nossas vidas.

Uma simples homenagem aos meus ex e atuais professores.



Ser professor é professar a fé e a certeza de
que tudo terá valido a pena se o aluno sentir-se feliz
pelo que aprendeu com você e pelo que ele lhe ensinou...

Ser professor é consumir horas e horas pensando
em cada detalhe daquela aula que, mesmo ocorrendo
todos os dias, a cada dia é única e original...

Ser professor é entrar cansado numa sala de aula e,
diante da reação da turma, transformar o cansaço
numa aventura maravilhosa de ensinar e aprender...

Ser professor é importar-se com o outro numa
dimensão de quem cultiva uma planta muito rara que
necessita de atenção, amor e cuidado.

Ser professor é ter a capacidade de "sair de cena,
sem sair do espetáculo".

Ser professor é apontar caminhos, mas deixar que
o aluno caminhe com seus próprios pés...

14 de out de 2010

Escolha votar entre uma guerreira da Democracia e um Fujão!

Por Pedro Bial.


"A VERDADE TEM QUE VENCER A MENTIRA!"

Reproduzo aqui o texto do Pedro Bial, no sentido de concordar com o jornalista. Este texto discorre do fato que alguns eleitores não querem dá o braço a torcer e aceitar que Dilma é melhor para o nosso futuro.

O Hino Nacional diz em alto e bom tom (ou som, como preferir) que um filho seu não foge à luta. Tanto Serra como Dilma eram militantes estudantis, em 1964, quando os militares, teimosos e arrogantes, resolveram dar o mais besta dos golpes militares da desgraçada história brasileira. Com alguns tanques nas ruas, muitas lideranças, covardes, medrosas e incapazes de compreender o momento histórico brasileiro, colocaram o rabinho entre as pernas e foram para o Chile, França, Canadá, Holanda. Viveram o status de exilado político durante longos 16 anos, em plena mordomia, inclusive com polpudos salários. Foi nas belas praias do Chile, que José Serra conheceu a sua esposa, Mônica Allende Serra, chilena.
Outras lideranças não fugiram da luta e obedeceram ao que está escrito em nosso Hino Nacional. Verdadeiros heróis, que pagaram com suas próprias vidas, sofreram prisões e torturas infindáveis, realizaram lutas corajosas para que, hoje, possamos viver em democracia plena, votar livremente, ter liberdade de imprensa.
Nesse grupo está Dilma Rousseff. Uma lutadora, fiel guerreira da solidariedade e da democracia. Foi presa e torturada. Não matou ninguém, ao contrário do que informa vários e-mails clandestinos que circulam Brasil afora.

Não sou partidário nem filiado a partido político. Mas sou eleitor. Somente por estes fatos, José Serra fujão, e Dilma Rousseff guerreira, já me bastam para definir o voto na eleição presidencial de 2010. Detesto fujões, detesto covardes!

10 de out de 2010

Declaração de voto de eleitor do Serra



Disponível em: http://tonigumauskas.wordpress.com/2010/06/

Colhi no Blog do Miro.

"Reproduzo um texto irônico publicado no blog do jornalista Luis Nassif:"

Desculpem amigos, vou votar no Serra. “Cansei… Basta”! Vou votar no Serra, do PSDB.
Cansei de ir ao supermercado e encontrá-lo cheio. O alimento está barato demais. O salário dos pobres aumentou, e qualquer um agora se mete a comprar, carne, queijo, presunto, hambúrguer e iogurte.
Cansei dos bares e restaurantes lotados nos fins de semana. Se sobra algum, a gentalha toda vai para a noite. Cansei dessa demagogia.
Cansei de ir em Shopping e ver a pobreza comprando e desfilando com seus celulares.
O governo reduziu os impostos para os computadores. A Internet virou coisa de qualquer um. Pode? Até o filho da manicure, pedreiro, catador de papel, agora navega…
Cansei dos estacionamentos sem vaga. Com essa coisa de juro a juro baixo, todo mundo tem carro, até a minha empregada. ”É uma vergonha!“, como dizia o Boris Casoy. Com o Serra os congestionamentos vão acabar, porque como em S.Paulo, vai instalar postos de pedágio nas estradas brasileiras a cada 35 km e cobrar caro.
Cansei da moda banalizada. Agora, qualquer um pode botar uma confecção. Tem até crédito oferecido pelo governo. O que era exclusivo da Oscar Freire, agora, se vende até no camelô da 25 de Março e no Braz.
Vergonha, vergonha, vergonha…
Cansei de ir em banco e ver aquela fila de idosos no Caixa Preferencial, todos trabalhando de office-boys.
Cansei dessa coisa de biodiesel, de agricultura familiar. O caseiro do meu sítio agora virou “empreendedor” no Nordeste. Pode? Cansei dessa coisa assistencialista de Bolsa Família. Esse dinheiro poderia ser utilizado para abater a dívida dos empresários de comunicação (Globo, SBT, Band, RedeTV, CNT, Fôlha SP, Estadão, etc.). A coitada da “Veja” passando dificuldade e esse governo alimentando gabiru em Pernambuco. É o fim do mundo.
Cansei dessa história de PROUNI, que botou esses tipinhos, sem berço, na universidade. Até índio, agora, vira médico e advogado. É um desrespeito… Meus filhos, que foram bem criados, precisam conviver e competir com essa raça.
Cansei dessa história de Luz para Todos. Os capiaus, agora, vão assistir TV até tarde. E, lógico, vão acordar ao meio-dia. Quem vai cuidar da lavoura do Brasil? Diga aí, seu Lula…
Cansei dessa história de facilitar a construção e a compra da casa própria (73% da população, hoje, tem casa própria, segundo pesquisas recentes do IBGE). E os coitados que vivem de cobrar aluguéis? O que será deles?
Cansei dessa palhaçada da desvalorização do dólar. Agora, qualquer um tem MP3, celular e câmera digital. Qualquer umazinha, aqui do prédio, vai passar férias no exterior. É o fim…
Vou votar no Serra. Cansei, vou votar no Serra, porque quero de volta as emoções fortes do governo de FHC, quero investir no dólar em disparada e aproveitar a inflação. Investir em ações de estatais quase de graça e vender com altos lucros.
Chega dessa baboseria politicamente correta, dessa hipocrisia de cooperação. O motor da vida é a disputa, o risco… Quem pode, pode, quem não pode, se sacode. Tenho culpa eu, se meu pai era mais esperto que os outros para ganhar dinheiro comprando ações de estatais quase de graça? Eles que vão trabalhar, vagabundos, porque no capitalismo vence quem tem mais competência. É o único jeito de organizar a sociedade, de mostrar quem é superior e quem é inferior.
Eu ia anular, mas cansei. Basta! Vou votar no Serra. Quero ver essa gentalha no lugar que lhe é devido. “Quero minha felicidade de volta.” Estou com muito medo. Chega! Assim está Dilmais.

7 de out de 2010

Marina,... Você se pintou?

(Photo by AB)



Por Maurício Abdalla [1]
professor de filosofia da Univesidade Federal do Espírito Santo - UFES

“Marina, morena Marina, você se pintou” – diz a canção de Caymmi. Mas é provável, Marina, que pintaram você. Era a candidata ideal: mulher, militante, ecológica e socialmente comprometida com o “grito da Terra e o grito dos pobres”, como diz Leonardo.
Dizem que escolheu o partido errado. Pode ser. Mas, por outro lado, o que é certo neste confuso tempo de partidos gelatinosos, de alianças surreais e de pragmatismo hiperbólico? Quem pode atirar a primeira pedra no que diz respeito a escolhas partidárias?
Mas ainda assim, Marina, sua candidatura estava fadada a não decolar. Não pela causa que defende, não pela grandeza de sua figura. Mas pelo fato de que as verdadeiras causas que afetam a população do Brasil não interessam aos financiadores de campanha, às elites e aos seus meios de comunicação. A batalha não era para ser sua. Era de Dilma contra Serra. Do governo Lula contra o governo do PSDB/DEM. Assim decidiram as “famiglias” que controlam a informação no país. E elas não só decidiram quem iria duelar, mas também quiseram definir o vencedor. O Estadão dixit: Serra deve ser eleito.
Mas a estratégia de reconduzir ao poder a velha aliança PSDB/DEM estava fazendo água. O povo insistia em confirmar não a sua preferência por Dilma, mas seu apreço pelo Lula. O que, é claro, se revertia em intenção de voto em sua candidata. Mas “os filhos das trevas são mais espertos do que os filhos da luz”. Sacaram da manga um ás escondido. Usar a Marina como trampolim para levar o tucano para o segundo turno e ganhar tempo para a guerra suja.
Marina, você, cujo coração é vermelho e verde, foi pintada de azul. “Azul tucano”. Deram-lhe o espaço que sua causa nunca teve, que sua luta junto aos seringueiros e contra as elites rurais jamais alcançaria nos grandes meios de comunicação. A Globo nunca esteve ao seu lado. A Veja, a FSP, o Estadão jamais se preocuparam com a ecologia profunda. Eles sempre foram, e ainda são, seus e nossos inimigos viscerais.
Mas a estratégia deu certo. Serra foi para o segundo turno, e a mídia não cansa de propagar a “vitória da Marina”. Não aceite esse presente de grego. Hão de descartá-la assim que você falar qual é exatamente a sua luta e contra quem ela se dirige.
“Marina, você faça tudo, mas faça o favor”: não deixe que a pintem de azul tucano. Sua história não permite isso. E não deixe que seus eleitores se iludam acreditando que você está mais perto de Serra do que de Dilma. Que não pensem que sua luta pode torná-la neutra ou que pensem que para você “tanto faz”. Que os percalços e dificuldades que você teve no Governo Lula não a façam esquecer os 8 anos de FHC e os 500 anos de domínio absoluto da Casagrande no país cuja maioria vive na senzala. Não deixe que pintem “esse rosto que o povo gosta, que gosta e é só dele”.
Dilma, admitamos, não é a candidata de nossos sonhos. Mas Serra o é de nossos mais terríveis pesadelos. Ajude-nos a enfrentá-lo. Você não precisa dos paparicos da elite brasileira e de seus meios de comunicação. “Marina, você já é bonita com o que Deus lhe deu”.

6 de out de 2010

Amazonas. Trabalho, amisades e novas descobertas

Assistir esse espetáculo da natureza não é para qualquer um. Imagina que chegamos à cidade bem na hora em que o sol se punha.


Dois amigos que fiz em Santa Izabem do Rio Negro - AM. Ambos moram em Manaus, mas estavam em viagem de trabalho. Eliane, funcionária da AFEAM e Cleilim, biólogo do IBAMA. Companhias impagáveis.

Com a amiga Eliane. Já estava pra lá de Marraquechi. rsrs


É comum essa cena no Rio Negro.


Essa imagem é uma das minhas prediletas. Esta embarcação seguia para Manaus. Principal
meio de transporte desse povo.

Com o amigo Hélio Villas Boas, pesquisador do INPA e Cleilin, IBAMA, seguíamos para Barcelos. Viagem também de trabalho.

Pausa para fotos.

Já em Barcelos. Pegando o táxi em direção a praia de água doce. Quentnha.


Passamos a noite no mato para uma pescaria.


Entrada da cidade de Barcelos - AM. A cidade é a antiga capital do estado.


5 de out de 2010

Dalva de Oliveira - MASCARA NEGRA



Marcha de Carnaval, também conhecida como "marchinha", é um gênero de música popular que esteve no carnaval dos brasileiros dos anos 20 aos anos 60 do século XX, altura em que começou a ser substituída, na preferência do público, pelo samba enredo

Fonte: Wikipédia